Grande Oriente Lusitano

gremio

Grémio Lusitano

O Grémio Lusitano é uma associação fundada em 20 de fevereiro de 1879, e constituída por escritura pública, em 13 de março desse ano, como uma sociedade de recreio. Hoje, é a mais antiga Associação civil em atividade.

Em 24 de maio de 1879, é emitido o alvará de aprovação dos Estatutos. A Associação Grémio Lusitano tinha como fim “promover e cimentar a união entre os associados, estabelecendo entre eles as melhores relações e proporcionando-lhes um passatempo honesto, instrutivo e civilizador por meio de reuniões diurnas e noturnas, para conversação, leitura, preleções, etc.”. Em 17 de novembro de 1879, é realizada a escritura de compra da sede da Associação, sito na então Travessa do Guarda-Mor, hoje Rua do Grémio Lusitano.

Entre 1879 e 1931, o Grémio Lusitano desenvolveu uma vasta atividade associativa, participando nas mais diversas iniciativas socias e cívicas. A Associação terá papel ativo com iniciativas nas comemorações dos 300 anos da morte de Luís de Camões, no centenário do Marquês de Pombal, na “Festa da Árvore”, iniciada em 1907 por iniciativa de Borges Grainha, ou na campanha denominada “Solidariedade Portuguesa”, destinada a angariar fundos para auxiliar as famílias dos soldados portugueses do CEP, deslocados na Flandres.

A partir do golpe militar, de 28 de maio de 1926, o Grémio Lusitano será alvo de várias tentativas de repressão e perseguição, culminando na proibição das sociedades secretas, e na espoliação dos seus bens na década de 30.

Após a revolução do 25 de abril de 1974, a sede do Grémio Lusitano foi devolvida e foi reposto o direito à livre associação.

Atualmente, o Grémio Lusitano tem por missão a promoção, o patrocínio e a realização de ações cívico-culturais e outras que visem valorizar, aproximar e dignificar a Humanidade, na defesa dos Direitos Humanos, especialmente a da Dignidade da Pessoa Humana. Estas ações visam a elevação intelectual e espiritual dos seus associados e de todos os que, na sociedade, se lhe queiram juntar, caracterizando-se pela organização de palestras e conferências; a promoção e edição de publicações; a criação, financiamento e manutenção de museus, bibliotecas e centros de convívio cultural e outras atividades de cultura e recreio.

Na esteira do que são os seus objetivos, na defesa da dignidade humana, o Grémio Lusitano instituiu o prémio António Arnaut, em 2023, com o intuito de distinguir projetos de investigação de reconhecido mérito nas áreas das ciências da saúde.