Grande Oriente Lusitano

Internato S. João Lisboa

O Internato de São João é uma instituição particular de solidariedade social (IPSS), fundado em dois de julho de 1862, tendo como fundador e seu patrono José Estevão Coelho de Magalhães, Deputado às Cortes e Grão-Mestre da Confederação Maçónica Portuguesa.

Deveu-se a sua fundação, então com a designação de Asylo de São João, à chamada “questão das irmãs de caridade”, que agitou a sociedade portuguesa, entre os anos de 1858 e 1862. José Estevão conjuntamente com um grupo de cidadãos encarrega-se da educação e alimentação de 20 crianças que estavam recolhidas no Convento dos Cardais de Jesus, depois da expulsão das irmãs da caridade francesas. O patrono do Internato destacou-se por ser um brilhante orador parlamentar e também um homem e maçon de ação na defesa na dignidade humana. 

A atividade do Asilo desenvolveu-se, entre 1862 e 1871, em dois locais arrendados de Lisboa. Em 1871, o Asilo centra a sua sede e atividade na Travessa do Loureiro, a Santa Marta. Em 1900, realizam-se, com autorização da proprietária, obras de ampliação das instalações, que só serão adquiridas em 1922, ficando, desde então, propriedade do Asilo de São João. Ao longo das décadas, antes e depois do 25 de Abril, as sucessivas Direções vão promovendo melhorias, procurando criar sempre as melhores condições de vida para as sucessivas gerações de educandas que viveram e receberam a sua educação na instituição.

Em 1972, o nome foi alterado de Asilo para Internato de S. João, por sugestão da então Direcção Geral de Assistência, por se considerar que a palavra Asilo poderia “…suscitar nas crianças assistidas estigmas de ordem psicológica que lhes dificultem uma total integração social.”

Desde a sua fundação em 1862 e até 2012, ano em que se comemorou o 150.º aniversário do Internato de São João, a instituição acolheu e promoveu a educação de centenas de jovens do sexo feminino, órfãs ou oriundas de famílias sem meios ou desestruturadas. Em 2013, por força das circunstâncias económicas do país e por constrangimentos próprios do Internato, teve de suspender a atividade de apoio à infância, estando o Internato no presente a funcionar como residencial de estudantes de ambos os sexos.

A sobrevivência do Internato de São João ao longo de 161 anos, deveu-se à solidariedade de gerações de portugueses que garantiram a continuação da sua obra social, solidariedade prestada por centenas de associados e de cidadãos que, ao longo das décadas, contribuíram com o seu esforçado trabalho voluntário, quantas vezes sem qualquer apoio das entidades oficiais.

Hoje, o Internato continua a ter como missão o apoio a crianças e jovens e à integração social e comunitária, desenvolvendo a sua Direção projetos que, no futuro próximo, permitirão à instituição ampliar a sua atividade na área social, alargando-a ao apoio comunitário na área da Freguesia onde se insere e na construção de uma ERPI em terreno próprio.

 

https://internatosaojoao.pt/